[T&B 2020] Manu Chao – Clandestino (1998)

Visualizando 15 posts - 1 até 15 (de 28 do total)
  • Autor
    Posts
  • Foto de perfil de Laura Fernandes
    Laura Fernandes

    Inaugurando o T&B desse ano com muita marijuana pra trazer a paz a essa comunidade, temos o elogiado primeiro disco do cantor franco-hispânico Manu Chao, Clandestino, que traz rock, reggae, ritmos latinos e outras coisas

     

    “[…] Clandestino serviu como um manifesto solidário e contagiante de um artista talentoso que estava em formação e, meio que literalmente, perdido pelo mundo. É político, sem ser excessivamente panfletário, e é divertido, sem soar bobo. Quem sabe por isso ainda consiga encantar novas gerações […] e tenha se tornado uma daquelas obras atemporais. Porque, da mesma forma que o clandestino encarna o “sou de lugar nenhum”, o viajante encarna “sou de todos os lugares”. E peregrinar, especialmente pela América Latina – com a intensidade e a curiosidade de Manu Chao –, sempre vai inspirar luta, mas também alegria.”

     

     

     

    Faça login ou cadastre-se para visualizar este conteúdo.

     

     
    Foto de perfil de Laura Fernandes
    Laura Fernandes

    01. Clandestino
    02. Desaparecido
    03. Bongo Bong
    04. Je Ne T'Aime Plus
    05. Mentira
    06. Lagrimas de Oro
    07. Mama Call
    08. Luna y Sol
    09. Por el Suelo
    10. Welcome to Tijuana
    11. Dia Luna… Dia Pena
    12. Malegria
    13. La Vie
    14. Minha Galera
    15. La Despedida
    16. El Viento


    Foto de perfil de Tostig
    Tostig

    solo voy con mi pena
    sola va mi condena
    correr es mi destino
    por no llevar papel


    Foto de perfil de Barranquillero
    Barranquillero

    Adoro. Que pisão

    Foto de perfil de Laura Fernandes
    Laura Fernandes

    Todas satisfeitas, só Fabio vai espumar


    Foto de perfil de Tostig
    Tostig

    vou baixar aqui pra escutar na praia depois do trabalho 

    Foto de perfil de Tostig
    Tostig

    esse álbum vocês tem que ouvir na praia sob efeito de poderosos psicotrópicos 

    Foto de perfil de Laura Fernandes
    Laura Fernandes

    esse álbum vocês tem que ouvir na praia sob efeito de poderosos psicotrópicos

    E se for na praia, vá na paz


    Foto de perfil de FA Wolf
    FA Wolf

    Foto de perfil de Tostig
    Tostig


    Fazia tempo que eu não ouvia esse álbum… e escutando pro t&b mudei algumas concepções que eu tinha. Por exemplo, não gostava taaanto de Clandestino, achava meio superestimada, mas depois da versão da Lila, eu adorei a original também quando ouvi. Já Minha galera, que eu lembro que gostava por ser em português, fiquei pensando 'como eu achava isso legal? que chatice'. 


    De qualquer forma, sigo amando esse álbum, amo a diversidade de estilos que se mesclam e o conceito da rádio. As letras são perfeitas e críticas. A gente percebe claramente quanto artistas como Macaco se inspiraram nele. 


    Boto: Minhas favoritas são Luna y sol - pelo ritmo principalmente, El Viento, que pra mim tem a melhor letra (El hambre viene, el hombre se vá é uma frase tão forte e impactante… reflitam) e Lágrimas de Oro, que é totalmente sem defeitos, e coloco ela por nenhum motivo técnico, só porque é a que eu mais gosto de escutar mesmo. Y suenan los tambores de la rebelión!!!!!!


    Tiro: Mama Call. Me incomoda por ser repetitiva, chatinha e em inglês. Mentira é repetitiva também, mas é em espanhol. Minha galera é chatinha, mas em português. E Bongo Bong é inglês mas é um hino gostosíssimo. Então tiro Mama Call, por ter três características que me incomodam. 



    Foto de perfil de Tostig
    Tostig

    "[…] Clandestino serviu como um manifesto solidário e contagiante de um artista talentoso que estava em formação e, meio que literalmente, perdido pelo mundo. É político, sem ser excessivamente panfletário, e é divertido, sem soar bobo. Quem sabe por isso ainda consiga encantar novas gerações […] e tenha se tornado uma daquelas obras atemporais. Porque, da mesma forma que o clandestino encarna o "sou de lugar nenhum", o viajante encarna "sou de todos os lugares". E peregrinar, especialmente pela América Latina - com a intensidade e a curiosidade de Manu Chao -, sempre vai inspirar luta, mas também alegria."

     

    é exatamente isso o que sinto desse álbum


    Foto de perfil de FA Wolf
    FA Wolf

    Faça login ou cadastre-se para visualizar este conteúdo.

    Faça login ou cadastre-se para visualizar este conteúdo.

    “[…] Clandestino serviu como um manifesto solidário e contagiante de um artista talentoso que estava em formação e, meio que literalmente, perdido pelo mundo. É político, sem ser excessivamente panfletário, e é divertido, sem soar bobo. Quem sabe por isso ainda consiga encantar novas gerações […] e tenha se tornado uma daquelas obras atemporais. Porque, da mesma forma que o clandestino encarna o “sou de lugar nenhum”, o viajante encarna “sou de todos os lugares”. E peregrinar, especialmente pela América Latina - com a intensidade e a curiosidade de Manu Chao -, sempre vai inspirar luta, mas também alegria.”

     

    é exatamente isso o que sinto desse álbum

    que pena, estou chorando

    Foto de perfil de FA Wolf
    FA Wolf

    Tem umas músicas que parecem que se repetem, tipo Mama Call e La Despedida, e eu não sei se são versões diferentes da mesma música, ou apenas um efeito lada del rey falta de talento sem grammy. Mas curti no geral.


    Boto: Mentira é muito boa, principalmente do meio pro fim quando mescla com La Llorona. Bongo Bongo me lembrou Gorillaz, Fell Good, não sei bem porque. Luna y Sol uma delicinha. Mas escolho ClandesHino, que conheci pela versão superior da Lila Downs. Letra do pop e ritmo do pop, mesmo que as vozes não me agradem muito.



    Tiro: Todo o resto, pois dá um sono da gota serena, principalmente Welcome to Tijuana. Não bateu, não fudeu, meu cuzão não se manifestou, sono atacou.


    Foto de perfil de Laura Fernandes
    Laura Fernandes

    lada del rey

    O outro louco na maconha 


    Foto de perfil de Laura Fernandes
    Laura Fernandes

    Esse é um daqueles discos em que nem importa muito o que ele fala, é pra se deixar levar pelos sons e só eles já são de uma latinidade e autenticidade imensas… Manu é uma daquelas pessoas que emanam uma energia tão boa que isso transparece na música e deixa tudo gostoso de ouvir


    Embora algumas letras e melodias sejam repetitivas e pareçam só demos, e aqueles sons de rádio e vozes aleatórias geralmente me irritem, isso não me incomodou aqui porque faz parte do conceito "amigo maconheiro e mochileiro" do que o próprio Manu é


    Favoritas: Clandestino, Desaparecido, Lagrimas de Oro, Mentira e Despedida 



    BOTO: fiquei entre Clandestino e Desaparecido (que são os maiores hinos do álbum), e escolho Desaparecido, pois adorei assim que ouvi, a letra tem uma melancolia que eu curto, e requebro os ombros bem relaxadinha 


    TIRO: não gostei de Mama Call, Welcome to Tijuana e tiro Minha Galera, que me fez rir com essa "letra" high by the beach 


Visualizando 15 posts - 1 até 15 (de 28 do total)


Cadastre-se no pandlr.com para participar deste tópico.
Clique aqui para se cadastrar ou faça login abaixo via rede social:

        






Logar utilizando uma rede social
         
×
×